Loira Do Bem ∞ : Pitaco de Loira: Ser feliz é correr riscos

domingo, 20 de junho de 2010

Pitaco de Loira: Ser feliz é correr riscos

Quem nunca ouviu a frase de alguém de que está com “borboletas no estômago”? Trata-se de uma expressão usada para definir um sentimento engraçado que algumas pessoas tem quando se descobrem  apaixonadas, ansiosas, ou com a adrenalina a mil . Expressão esta que se transformou em “patrimônio da humanidade”. Enfim, uma mola propulsora, que de repente, nos tira daquele estado de letargia, apatia e que nos criam asas, fazendo nos voar, sem sair do chão.
• Há várias definições para esse sentimento que turbinam nossas vidas:
Scudery pensava: “Amor é um não-sei-quê, que surge não sei de onde, acaba não sei como e dói não sei por quê".
Patricky Field então pitacou:"É complicado, atordoante, te vira completamente do avesso, mas encontrar a pessoa que te completa é a melhor sensação que alguém pode ter. É como se fosse um encontro consigo próprio, e como tal, é claro, amedronta, faz você repensar toda sua vida, e você descobre que não era nada antes de conhecer o verdadeiro amor, e que, depois dele, você já era, está aniquilado se não tiver mais, mesmo que por um dia, sua alma especial ao seu lado.”
Há um livro publicado recentemente pela editora Novo Século, que está causando frison entre as mulheres, “Sexo, Amor, Endorfinas & Bobagens” de autoria de Cibele Fabichak - Médica formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, mestre em fisiologia pela UNIFESP, que segundo ela, por meio de estudos científicos, alega, que a paixão funciona de maneira similar a uma verdadeira droga e que existem explicações cerebrais e hormonais para a paixão, e para as ilusões criadas pelos hormônios, que explicam cientificamente porque o amor é cego. Ainda, segundo o livro, vamos saber como e por que, mergulhando nas profundezas das reações químicas cerebrais desencadeadas pela paixão/amor, além de entender porque as endorfinas geradas pela paixão levam a bobagens - como casamentos precipitados que logo se desfazem e evitando as escolhas erradas, e mostra quais os caminhos que levam a paixão a se transformar no amor duradouro e fiel.
A médica Cibele Fabichak, autora do livro” explica as alterações físicas mais comuns que o apaixonado(a) tem quando está pela primeira vez na frente do amado(a), vejam:
•Toda a atenção é voltada para o parceiro;
• As pupilas dos olhos se dilatam (melhora a visualização do amado);
• Os batimentos cardíacos ficam acelerados;
• A temperatura corporal aumenta;
• O rosto pode ficar vermelho;
• A pressão sanguínea tende a aumentar;
• As mãos tornam-se frias, suadas e trêmulas;
• A boca fica seca;
• Há alterações no funcionamento do estômago e sente-se o clássico “frio na barriga”;
• A função intestinal aumenta e pode ocorrer até diarreia;
• Há uma maior “queima” de gordura (cuidado: não deseje se apaixonar somente para reduzir o peso);
• O nível de açúcar (glicose) no sangue aumenta;
• Há maior quantidade de adrenalina e cortisol no sangue;
• A imunidade tende a aumentar

O que mais se aproxima do que penso é a frase célebre de Roberto Freyre, em seu livro "Ame e dê vexame‎" - "Quem começa a entender o amor, a explicá-lo, a qualificá-lo e quantificá-lo, já não está amando". Ou como George Chapman previu:• "Ninguém ama se não ama à primeira vista".- e cada vez mais que aprofundamos, chego à realidade de Drumond: "Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la".
• De todas as formas de cautela, cautela no amor é talvez a mais fatal para a felicidade verdadeira".- Ponto para Bertrand Russell, afinal, buscar e desejar a felicidade no amor é correr riscos, e "quem não arrisca diz o ditado não petisca", amor não é ciência exata ou planejado, cronometrado, amor é um descontrole e sem tempo de validade para terminar, amor/paixão, se vive sem saber como começa e termina ou está ainda mal resolvido.
•"O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição" brilhantemente enfatizou, Aristóteles, e amor/paixão- "Não significa estar perto, mas estar dentro" ( Leonardo Da Vinci).  O poetinha Vinicius resume tudo: “Que seja infinito enquanto dure”.

"Para viver é preciso coragem".
Tanto a semente intacta, como aquela que está rompendo sua casca tem as mesmas propriedades.
Entretanto, só a que está rompendo sua casca é capaz de lançar-se na aventura da vida.
Esta aventura requer uma ousadia única: descobrir que não se pode viver através da experiência dos outros e estar disposto a entregar-se.
Não se pode pegar os olhos de um, os ouvidos de outro, para saber de antemão o que vai acontecer, cada existência é diferente da outra.
Seja o que for que me espera, eu desejo estar com o coração aberto para receber.
Que eu não tenha medo de colocar o meu braço no ombro de alguém, até que ele seja cortado.
Que eu não tema fazer algo que ninguém fez antes, até que seja ferido.
Deixe-me ser tolo hoje, porque a tolice é tudo que eu tenho para dar esta manhã; eu posso ser repreendido por isso, mas não tem importância.
Amanhã quem sabe, eu serei menos tolo. Kalil Gibran.