domingo, novembro 22, 2009

Reflexão: A propósito do Câncer







Em uma tarde de sol,um médico neurologista passeava pelo cais com o filho adolescente. De súbito apareceu um homem fora de si,que atirava a esmo com uma arma de fogo;uma bala perdida atingiu seu filho e o matou.

Essa experiência inesperada e brutal causou profundo abalo ao médico.E,um mês,após surgiu nele um câncer de testículo,que foi então operado e tratado de forma convencional. A partir desta experiência,ele passou a suspeitar da relação entre o choque psíquico vivido e o câncer que o acometeu e dois anos após ao trabalhar numa enfermaria de oncologia percebeu pelas histórias dos pacientes que tinham sofridos traumas semelhantes.

Após anos de pesquisas,e estudado milhares de casos,o médico relacionou o tipo de trauma vivido na área cerebral com o órgão em que o câncer se instalava.

E assim,ele estabeleceu três níveis de manifestação de câncer: o psíquico,o cerebral e o orgânico e que até hoje a ciênica médica,procura na célula ou DNA a causa do câncer.
Na ciênci
a espiritual,analogicamente que traumas intensos são capazes de abrir as comportas do plano psíquico e liberar sua carga desorganizadora.Esse impacto atinge o cérebro sutil e a seguir o físico.

Choques psíquicos e o Câncer:

Câncer do Estômago:conflitos familiares intensos;estados de cóleras impossíveis de transmutar;

Câncer de fígado:rancor profundo ante uma injustiça,sentimentos fortes de inveja e ciúme,medo da morte pela fome;

Câncer de intestino grosso:grandes contrariedades,forte repúdio a ações vis,dificuldade de digeri-las;

Câncer de mama:quebra marcante da harmonia na relação mãe-filho.

Câncer de Pele: conflitos de perda da integridade física;sentimento de ter sido ultrajado,difamado ou insultado;

Câncer de osso: baixo autoestima,sentimentos de inferioridades arraigados;

Câncer de Tireóide: sentimento de impotência diante de circunstâncias adversas da vida;

Câncer de colo de útero: graves conflitos de frustração sexual;

Entretanto,é essencial ter a atitude correta,devemos reconhecer as grandes oportunidades de transformação, é necessário acolher a doença sem ressentimentos.

Havia um engenheiro especialista em armas e colecionador delas, qdo se viu acometido por leucemia,fatal na época,em vez de reagir de forma negativa,foi dedicar seus últimos meses, doando sua vida para salvar outras,e se ofereceu para desarmar as bombas-relógios de atentados terroristas.

E,só,após ter desarmados dezenas de bombas,é que se deu conta de que seu tempo de vida previsto,já tinha sido ultrapassado!Ficou curado e ainda viveu algumas décadas e desfez de sua coleção de armas.

A doação incondicional da própria vida para salvar a dos demais pode promover a cura de forma simples e inesperada.

E ainda que aas ações positivas possam não ser suficientes para interromper a evolução de uma doença física,nossa postura diante dela deve mudar essencialmente, pois isto é decisivo para o verdadeiro processo de cura interior.

Uma enfermidade qualquer, traz sempre consigo uma transformação a ser feita.Mesmo um simples resfriado tem isso por detrás.

Dr. José Maria Campos –Médico,clinico,pesquisador,escritor,membro do Conselho de Figueira(MG).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu pitaco é muito importante, mas lembre-se feedback assertivo é uma forma inteligente de interação, além de evitar futuros aborrecimentos.