Loira Do Bem ∞ : Abaixo a sabotagem

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Abaixo a sabotagem



*bom,já que vou voltar as aulas,já começo a preparar material novo,para tal,e um destes,me chamou bastante a atenção,sobre a sabotagem. Quantas vezes,somos impedidos de realizar um bom trabalho,porque dependemos de outros para tal,e a pessoa,vez ou outra,nos sabota,ou segue paradigmas e conceitos de uma organização engessada demais.

E,mesmo,sabendo que prejudicará a si mesmo(a),diminuindo a produtividade da empresa, ou até mesmo,boicotando o êxito no mercado de Trabalho e que,infelizmente,ficamos a mercê,deste indivíduo,que não ata e nem desata,muito menos deixa o outro ser vitorioso profissionalmente.

E.no fim,quando abrimos os olhos,vemos quantos atitudes de forma engessada,mesquinha,individualista,poderia ter sido diferentes,se divididas e somadas,poderiam contribuir de forma ampla para o êxito do empreendimento.

Lembro-me,do professor de filosofia e de sua indagação,quanto ao um trecho da música do "profeta" Rauzito:
"Porque quem gosta de maçã.Irá gostar de todas. Porque todas são iguais."

Abaixo um artigo interessante de Ana Maria Leandro,Especialista em marketing de relacionamento,Formada em Letras,pós-graduada em Administração Mercadológica,e atuando também como coaching(espécie de aconselhamento profissional),fundou a primeira empresa de serviços de marketing por telefone no Brasil.

Mais tarde,criou sua consultoria, a AML Marketing de Relacionamento,e tornou-se um dos nomes mais respeitados do ramo. Com anos de experiência e passagens por empresas de peso, sabe como ninguém que relacionamento conflituoso é péssimo negócio.

AUTO SABOTAGEM.

Independe de sexo.É um comportamento típico de seres humanos inseguros, com autoconfiança precária, que buscam maneiras de se proteger.Já vi mulheres escondendo de suas melhores amigas informações bobas,como o nome do perfume,só para manterem exclusividade.Essa incapacidade de compartilhar pode acompanhar mulheres e homens pela vida e influenciar negativamente seu desempenho no ambiente profissional e em outros círculos sociais.

Annette Simmons relata dez deles.Veja como alguns funcionam.

O Jogo da Ocupação ocorre quando a pessoa toma posse de determinados espaços ou projetos,bloqueando acesso,cortando o fluxo do trabalho,dificultando o processo. Tudo precisa passar por ela ou ter sua anuência ou autorização.

No Jogo da Manipulação,a pessoa fornece informações filtradas, incompletas e,às vezes, distorcidas, mesmo que possa prejudicar o trabalho do outro.

O Jogo da Intimidação,bullying ou assédio moral,é a conhecida "fritura",são humilhações públicas ou disfarçadas.É o ato de ameaçar ou criticar de forma destrutiva.

No Jogo da Parede Invisível,diante da solicitação de uma informação ou apoio,a pessoa responde com evasivas do tipo:"acho que não vou poder te ajudar","não sei","não vi",colocando barreiras.

No Jogo do Descrédito,a tendência é diminuir a pessoa ou sua contribuição,quando ela apresenta uma nova idéia ou um novo projeto.

O Jogo da Exclusão é também muito comum em empresas,quando um colega ou subordinado passa a ser impedido de participar de reuniões,e recebe informações por meio de terceiros ou nem sequer as recebe.


Em síntese,em vez de preservar territórios,temos de preservar a saúde das relações,
E as pessoas têm saúde mental quando se sentem bem consigo mesmas e em relação às outras pessoas. Quando podem viver de acordo com seus ideais e têm tranqüilidade para pôr em prática seu talento e habilidades.

A presunção é um comportamento danoso.Aquela sensação de que ninguém é melhor ou pode mais do que você.É fácil esbarrar também em inflexibilidade.

Gente que acredita que o único ponto de vista correto é o seu e tem dificuldade para enxergar os fatos sob outro ângulo. Outro fator que prejudica é a facilidade com que certas pessoas desenvolvem a animosidade e raiva. Tudo está interligado.

Uma pessoa presunçosa e inflexível, que não consiga fazer valer sua vontade, tende a agir com animosidade e raiva. São reflexos do seu inconformismo e da sensação de impotência diante de fatos que a incomodam.

Uma forma de cortar esse mal é incluir a humildade e a maleabilidade no cardápio de práticas diárias. E exercitar a assertividade quando algo realmente nos aborrecer: dizer com franqueza e diplomacia o que pensamos e sentimos.

Precisamos falar das nossas emoções e mostrar ao outro o impacto negativo que suas atitudes e posturas tiveram sobre nós. Assim, evitaremos que ressentimentos, provocados por frustrações e mágoas não manifestadas,reapareçam no futuro totalmente fora do contexto, expostos de maneira impulsiva e agressiva.


"O homem que consegue o resultado mais satisfatório não é sempre o
homem com a mente brilhante única, mas o homem que consegue coordenar
melhor os cérebros e talentos de seus companheiros."(W. Alton Jones).