terça-feira, 28 de julho de 2009

Marketing: quebrando paradigmas


O que vem a ser um paradigma?

Paradigmas são modelos e padrões de comportamento que nos mantém estagnados e, consequentemente, impedem uma empresa ou organização de evoluir, crescer e prosperar. Para facilitar o entendimento deste tema, vamos contar uma historinha:"Certa vez, foram colocados num laboratório 5 macacos dentro de um ambiente.Neste mesmo ambiente havia uma escada que permitia aos macacos alcançar um cacho de bananas.

Assim que um dos macacos resolveu subir as escadas em busca das bananas, os cientistas utilizaram uma mangueira e jogaram água fria nos outros quatro macacos. Isto se sucedeu várias vezes, sempre que um dos macacos subia as escadas. Num determinado momento, após muitos banhos, quando um macaco subia as escadas, os outros quatro batiam nele, com medo de levar um banho de água fria.

Aos poucos, os macacos foram sendo substituídos um a um e o novo macaquinho que entrava também apanhava quando tentava subir as escadas.Em breve tempo nenhum dos cinco macacos fazia parte da equipe original, porém todos estavam condicionados a não subir as escadas, com medo de alguma coisa, sem mesmo saberem o porquê".

Esta historinha pode ser associada aos ambientes empresariais. Ouve-se falar muito em cultura da empresa ,aquelas desculpas citadas pelas pessoas de que "aqui sempre foi assim e sempre será"e  não tem jeito de mudar".

Isto nos faz pensar em comportamentos cristalizados e formas de pensamentos milenares, impossíveis de serem removidos. Resumindo, um bando de macacos condicionados a não subirem escadas, mas vamos refletir um pouco. Se todos nós pensássemos assim, estaríamos vivendo como na Idade Média, queimando pessoas na fogueira, por afirmarem que o mundo é redondo, acreditando que o deus Sol comanda as pessoas, e que as mulheres não possuem inteligência para votar. E,pasmem, até cem anos atrás, ainda havia muita gente que pensava desta forma. Mas graças a outras pessoas corajosas e empreendedoras que não acreditavam nisto e que se propuseram a modificar estas crendices, com inteligência e criatividade, o mundo evoluiu. Estamos no terceiro milênio, convivendo com a evolução da tecnologia da informação e o desenvolvimento de técnicas científicas avançadíssimas, mas ao mesmo tempo enfrentando nos ambientes empresariais certos comportamentos difíceis de serem aceitos. O grau de resistência encontrado nas organizações às mudanças é impressionantemente elevado.

Muitos profissionais se deixam levar por modelos de gestão engessados em paradigmas do passado, do tipo: "O meu avô fazia assim quando inaugurou a nossa empresa, meu pai também fazia assim e eu continuo fazendo, mesmo sem saber por que faço, mas tenho medo de mudar e dar errado!”.
Albert Einsten já dizia:"É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito"
Devemos lutar contra a visão míope existente nas empresas, as regras inconcebíveis, a burocracia que eleva custos, a percepção errada da realidade,a falta de liberdade de ideias e sugestões, porque a visão única das coisas nos faz perder oportunidades de identificarmos novas formas de convivência, de melhorar os processos, de aperfeiçoar os sistemas de comunicação,de criar sistemas de feedback mais eficientes de forma a motivar e estimular as pessoas em busca do seu aperfeiçoamento contínuo,substituindo a competição pela colaboração.
Precisamos estar abertos a novas sugestões e críticas sobre as coisas que fazemos e como fazemos, porque a melhoria contínua começa por nós. Precisamos ser mais flexíveis, com coragem, persistência, capacidade analítica e muita paciência, para deixarmos de viver como robôs, fazendo as coisas de forma automática. Em muitos casos, a necessidade e o desejo da rapidez nos resultados, processos e atividades, nos torna profissionais sem visão analítica dos detalhes que compõe o todo.Todos nós ganharemos com esta mudança de comportamento.

Autoria de José Carlos Maron Jr. - Administrador de Empresas, com Pós-Graduação em Consultoria Empresarial.
Atuando em assessoria e treinamento em estratégias de comunicação e comportamento, e planejamento estratégico. Ex-Gerente de Planejamento da Philips do Brasil.

Obs> Tanto isto é verdadeiro que até os conceitos do Pai do Marketing, Philipp Kotler
estão sendo renovados, ou seja, basta mais atender as necessidades do cliente,
gerar desejos no consumidor, mas sobretudo,"Marketing é compreender e atender aos desejos do consumidor."(Menshhein, 2008).