Loira Do Bem ∞ : ALMIR SATER É A ESTRELA DO ENCERRAMENTO DO FENAVIOLA - COLATINA -iITAPINA ES

quarta-feira, 20 de maio de 2009

ALMIR SATER É A ESTRELA DO ENCERRAMENTO DO FENAVIOLA - COLATINA -iITAPINA ES



Almir Sater e Pereira da Viola são as grandes atrações do III Festival Nacional da Viola(Fenaviola)que vai acontecer no distrito colatinense de Itapina de 11 a 13 de junho, promovido pela Prefeitura.

O evento será aberto no dia 11, quinta-feira, às 19 horas, com a realização da primeira eliminatória e com show de Efraim Maia; na sexta-feira será a segunda eliminatória e o show de Pereira da Viola; e no sábado será a finalíssima,e o show de Almir Sater.

Para os que desejam ir a Itapina no Festival as opções de hospedagem e camping são para a Chácara Santa Rosa, que está oferecendo alojamento e camping, e para o Camping Tima, situados na sede do distrito, onde será realizado o evento. O Camping Tima dispõe de piscina, área para caminhada e banheiro, e vai custar R$ 10 por pessoa.

A Chácara oferece serviços de bar e restaurante. O espaço para camping é bem arborizado, com café da manhã, que custará R$ 18, e sem café R$12. O alojamento é de quarto com banheiro coletivo e sala de TV, coletiva, mas não estão incluídos lençol, fronha e toalhas de banho e de rosto. Com café da manhã será R$ 28 e sem café R$ 22. É necessária a reserva prévia.

Almir Sater vem pela primeira vez a Itapina e com certeza vai se apaixonar pela Vila, mas Pereira da Viola já se apaixonou desde o ano passado; tanto que está retornando para incendiar o lugar com suas brincadeiras, cantorias e cantigas de músicas de rodas.

Itapina não está esquecida no tempo. E quem chega pela primeira vez logo fica apaixonado pelo lugar, situado a 30 quilômetros da sede do município e com uma população de 2.868 habitantes. Surgiu a partir da implantação da Estrada de Ferro Vitória a Minas. No passado tinha uma economia mais expressiva com a cultura do café e no garimpo de pedras preciosas.

O povoado tem o nome de origem indígena, que quer dizer "pedra lisa" e como em toda a região do vale do rio Doce era habitado pelos Botocudos. Já se chamou "ita" (pedra) e depois recebeu o restante. Preserva um conjunto histórico e arquitetônico com edificações construídas no auge da sua importância econômica, em estilo rococó, estilo colonial brasileiro e art décor dos anos 20 a 50 do século XX, uma das quais de propriedade da família da escritora capixaba Virgínia Tamanini, celebrizada pelo livro Karina. Ficou conhecido como a "Peróla do Rio Doce" nos áureos tempos.

O Fenaviola não só abre as portas do lugarejo, de seus casarões para o país, mas também oferece uma infraestrutura especial, com boas estradas e o privilégio de contar, no coração da vila, com duas paradas diárias de dois trens na estação da Estrada de Ferro Vitória a Minas, da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). Um que vem de Vitória e vai para Belo Horizonte, pela manhã, e outro que faz o sentido contrário, à tardinha.

A sede do distrito fica na margem sul do rio Doce e as estradas de acesso estão em boas condições de tráfego, com manutenção feita permanentemente pela Prefeitura. Pelo lado norte a chegada pode ser feita de carro pela Br-259, que liga Colatina a Baixo Guandu, e depois fazer a travessia do rio Doce entrando à esquerda em outra ponte.

Em época de Fenaviola, o vilarejo ferve de gente bonita e alegre, e torna-se a vitrine da música cabocla brasileira por três dias. As noites ficaram animadas. O cenário é único. Nos poucos bares e "vendinhas", ao longo das calçadas ou praças o bate-papo é interminável.

A nostalgia toma conta do lugar nos dias do Festival. Aliás Itapina tem guardadinho em seu passado de lembranças os grupos de rapazes e moças que passavam as madrugadas românticas sob o luar, nas calçadas conversando, cantando e ouvindo viola. Bons tempos para estes mesmos rapazes e moças, que hoje, já com seus herdeiros, estão retornando a Itapina, às suas raízes, para prestigiar o Festival e reencontrar os amigos e famílias, e trazendo filhos e netos para conhecer suas origens e mostrar como se divertiam num tempo de pura magia e encantamento.

Uma dos momentos inesquecíveis que ficam registradas por quem participa da festa, é o passeio na balsa. Um atrativo durante o Fenaviola é passear com os violeiros tocando e cantando dentro da balsa, passeando de um lado e de outro do rio. Os turistas curtem muito o passeio.

SERVIÇO:
ALMIR SATER E SUA BANDA MAGISTRAL.
LOCAL:DISTRITO DE ITAPINA- COLATINA -ES
HORARIO:22:00 HORAS.
ENTRADA: GRATUITA.


FONTE:http://www.colatina.es.gov.br/noticias/mostrar_noticia.php?area=cultu&materia=597


Nenhum comentário:

Postar um comentário