sábado, abril 11, 2009

Três Pontos por Lama Michel *







Eu aprendi três coisas:

Não tenha medo de ser quem você é, saiba até aonde você quer ir e ofereça ao invés de pedir.

É melhor que a gente seja transparente, pois mais pra frente vai vir à tona quem somos realmente. Então, uma vez que vamos ter que lidar de qualquer maneira com nossas dificuldades é melhor procurar desde o início encontrar soluções do que criar desentendimento e decepção mais tarde.

Muitas vezes temos receio até mesmo de expressar nossas qualidades e dons, pois não estamos familiarizados com a simples experiência de nos expormos, isto é, de nos expressarmos de modo singular.

Quando criança aprendemos, sem nos darmos conta, muito sobre como devemos nos comportar para sermos mais aceitos, conquistar atenção e recursos para nossas necessidades básicas. Ao crescer,muitas destas associações ganham um novo peso conforme aprendemos a nos relacionar com as pessoas e com situações muito diferentes da nossa original.

Aprendemos a fazer ajustes e a sermos mais flexíveis ao reconhecer que também podemos ter um modo próprio de expressar nosso potencial criativo.No entanto, quando não formos estimulados a nos expressar, iremos criar preconceitos a respeito de nosso modo natural de ser:precisamos lutar para ser quem de fato somos.


Se em nosso ambiente de infância tivermos tido pais(ou as pessoas mais próximas de nosso convívio)que souberam expressar o seu próprio potencial criativo,mais tarde esta lição será mais fácil de ser praticada por nós mesmos.Mas se eles não foram pessoas interessadas em aprender e explorar o mundo à nossa volta,com muitos dogmas e preconceitos,teremos que descobrir por nós mesmos como mobilizar em nosso interior disponibilidade e inspiração para fazer novas descobertas.

Quanto mais sincero tiver sido o modo de se expressar de nossos pais,menos estereotipado será o nosso comportamento quando adultos.Cada um sabe o quanto teve que treinar para ter a satisfação de ser quem se é...

O segundo ponto a que Lama Michel se referiu - saber até onde queremos ir -,sem dúvida só pode ser conquistado com a maturidade.

Saber trazer o sonhos para a realidade, a inspiração para a realização e ajustar nossas expectativas com uma visão de futuro é um desafio e tanto! Requer autoridade interna e muita sinceridade,seja em relação ao a nosso próprio potencial,seja para com o ambiente em que nos inserimos...

Por fim, o terceiro ponto - oferecer ao invés de pedir -, merece uma reflexão maior. Podemos, por ora apenas nos questionar: quando estamos de fato oferecendo algo?

Quantas vezes quando damos algo a alguém não temos a intenção de ganhar algo com isso ou até mesmo de seduzir a pessoa?

*Lama Michel Rinpoche nasceu em São Paulo em 1981 e tem viajado com Lama Gangchen pelo mundo dando palestras, ensinamentos e orientando as atividades espirituais de inúmeros centros e grupos de estudo budistas no Brasil e na Europa, como o Centro de Dharma da Paz e o Vida de Clara Luz em São Paulo.
 

Autor dos livros:"Uma Jovem Ideia de Paz" (Editora Sarasvati Multimidia, São Paulo, 1996) e "Coragem para seguir em frente" (Editora Gaia, São Paulo, 2006).

Lama significa mestre. Em tibetano, o nome Michel significa “homem de cristal” ou “aquele que ilumina o caminho para os outros”.