quinta-feira, 9 de abril de 2009

Rede de Intrigas...

Quem já não ouvir falar de William Shakespeare, uma das suas obras literárias mais intrigante, Otelo, que gira em torno da traição, da inveja e da intriga.

Otelo era um general mouro que servia o reino de Veneza, Iago, alferes de Otelo, que trama com Rodrigo uma forma de contar ao rico senador Brabâncio, que sua filha Desdêmona havia se casado com Otelo, esta vingança é movida pela promoção de Cássio, jovem soldado florentino, intermediário da relação entre Otelo e Desdêmona; Iago considerava a promoção injusta.

Nesta reunião Amâncio acusa Otelo de ter induzido Desdêmona a casar-se com ele através de bruxarias, sem provas. Otelo como defesa faz um relato de sua história de amor que é confirmado por Desdêmona, diante disto e por Otelo ser considerado o único capaz de comandar o exercito no contra-ataque a uma esquadra Turca que se dirigia a ilha de Chipre, Otelo é inocentado, seguindo o casal para Chipre em barcos separados

Iago que já estava em Chipre planejava um terrível plano de vingança, contra Cássio e Otelo, hábil conhecedor da natureza humana sabia que o tormento que mais aflige a alma é o ciúme, sabendo que Cássio dos amigos de Otelo era o que mais possuía confiança e ainda que o mesmo por sua beleza e juventude seria capaz de despertar em Otelo, um homem já maduro ciúme, por ser Desdêmona, uma jovem e bela mulher.

Durante uma festa que os habitantes da ilha prepararam a Otelo, Iago induziu Cássio a se embriagar e envolver-se em uma briga com Rodrigo, quando o mouro soube do acontecido destituiu Cássio de seu posto, neta mesma noite Iago começou a jogar Cássio contra Otelo, e fez o mesmo crer que a punição teria sido muito severa e que este deveria falar com Desdêmona para que ela convencesse Otelo a devolver-lhe o cargo,

Cássio não se deu conta dos planos de Iago e aceitou a sugestão, continuando com seu plano Iago sugeriu a Otelo que Cássio e sua esposa poderiam estar tendo um caso, seu plano foi tão bem traçado que Otelo começou a desconfiar de Desdêmona.

Iago sabia que Desdêmona havia sido presenteada por Otelo com um lenço de linho que fora de sua mãe, o Mouro acreditava que este lenço era encantado e por enquanto sua amado a tivesse,a felicidade do casal estaria garantida, após ter encontrado o lenço que Desdêmona havia perdido e sabendo da crença de Otelo,

Iago diz a Otelo que sua mulher havia presenteado seu amante com o lenço, Otelo já enciumado, pede o lenço à esposa, que não sabe explicar o que aconteceu com ele, neste meio tempo Iago coloca o lenço no quarto de Cássio para que ele o encontre.
Após isso, Iago fez com que Otelo se escondesse para ouvir uma conversa entre ele e Cássio, os dois falam sobre Bianca amante de Cássio, porém Otelo só escuta parte da conversa e acredita tratar-se de Desdêmona, pouco tempo depois chega Bianca a quem Cássio entrega o lenço e pede que providencie uma cópia;

Otelo ficou fora de si quando viu que Desdêmona havia presenteado a outro homem com seu lenço,as conseqüências disto foram que Iago em nome de sua lealdade jurou matar Cássio para vingá-lo, porém sua intenção era matar Rodrigo e Cássio por esses representarem empecilho a seus planos,mas na verdade o que aconteceu foi que Rodrigo morreu e Cássio ficou apenas ferido,Otelo completamente descontrolado mata sua Desdêmona em seu quarto,quando Emília esposa de Iago,sabendo do que havia acontecido a sua senhora,revela a Otelo que sua esposa nunca havia sido infiel, que tudo não passara de uma trama de seu marido, Iago matou Emília,fugiu, mas logo foi capturado, Otelo desesperado por saber que matará seu grande amor se apunhala no peito caindo sobre o corpo de sua amada e morre beijando-a, no lugar de Otelo fica Cássio, ago foi entregue as autoridades e Graciano Ficou com os bens do Mouro.

Quantas vezes movido pela emotividade, por coincidências como estas, que tomamos como verdade, julgamos, condenamos, ofendemos pessoas que são especiais e essenciais na nossa vida, sem se dar conta, de que tudo não passa de armadilhas feitas por outras pessoas, com o intuito de provocar rupturas nos relacionamentos, e ficamos cegos diante destas situações, duvidamos da integridade e caráter do outro, porque a mente, o coração, a alma já foram envenenados pela desconfiança, incertezas e aflições?

Quando nos damos conta não resta mais nada, apenas um vaso quebrado, a alma partida, dolorida e ressentida, seja  com a dor, mágoa, decepção causada, cria-se um muro
intransponível, porque a essa altura, todo o sentimento bom íntegro e a confiança mútua fica por um fio, caiu por terra;

Nos falta o chão, a compreensão, o perdão, e ficamos a mercê da sorte, de pesar na
balança as virtudes e qualidades que o outro nos atraiu, o que fica não é a primeira impressão, mas o que de negativo, tristeza, amargura e dor causou, seja em palavras, gestos, atitudes,... uma ferida que não cicatriza nunca, vez ou outra fica aberta, exposta, a capacidade de perdoar e compreender, que não existiam carrascos e sim vítimas de uma situação, muitas vezes, armada por terceiros, de acordo com o interesse de cada, assim como Iago, tinha a ambição,a ganância, Otelo, o ciúme, Desdêmona, a ingenuidade, Cássio, a vulnerabilidade, sentimentos estes que movem o mundo, infelizmente, e fazem parte da rede de intrigas.

O que resta, ninguém no fim tem a alma feliz, por inteiro, todos ao seu modo, pagam um preço, pelo excesso de algum sentimento, fica a mercê da sorte, do destino, e sem a chance de nunca poder explicar ou ser perdoado pelo dano causado.

Assim caminha a humanidade....