quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Felicidade Existe ???


"Todos os homens procuram ser felizes;isso não tem exceção...E esse é o motivo de todas as ações de todos os homens inclusive daqueles que vão se enforcar..(Pascal).

Imagine um pescador que passa o dia inteiro no mar,tendo como vista uma bela praia do oceano Pacífico. Este mesmo indivíduo vive em média 68 anos,nunca será rico,ms consegue obter seu sustento sem deixar de preservar a natureza local.Imaginou?

Pois é este o perfil das pessoas mais felizes do mundo,segundo estudos revelados.
São eles,os habitantes da pequenaVanuatu,um arquipélago com 83 ilhas,distante 1.750 km da Austrália.Longe do ideal de felicidade da maioria da população mundial-que imediatamente associa o termo dinheiro e prazeres-

Quem estaria certo? o estudo? os pescadores do Pacífico? Afinal,o que é ser feliz?
Afinal,quem nunca desejou tomar a pílula da felicidade? -livros e "guias"- prometem,uma vida plenamente feliz.

Mas o fato é que não há fórmulas"comprovadamente eficazes",pelo contrário pairam dúvidas.Mas há muito a refletir sobre o assunto e com a ajuda da filosofia.

"Aprendi a procurar a felicidade,limitando os desejos,em vez de tentar satisfázê-los
(J.Stuart Mill).

Ser feliz é possivel,mas dá bastante trabalho,segundo Aristóteles(384-322 a.C.),que definiu felicidade como uma "certa atividade de alma realizada em conformidade com a virtude".Ele garante que a felicidade depende de nós mesmos e precisa ser buscada sempre;o meio para atingi-la seria a virtude que o homem posui naturalmente.

Entretanto,se cada homem possui uma virtude distinta,como é possivel que todos encontrem a felicidade?

"Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos"(Shakespeare).

Nesta busca desenfreada,a preocupação em ser feliz pode tornar-se maior do que a preocupação em fazer algo para atingir seu ideal" A felicidade não será dada pelo governo,nem por religião,nem por dinheiro,e nem por qualquer atitude de outrem.

É sempre uma atitude individual,muitas vezes árdua e penosa,mas que quando atingida nos traz um gozo momentâneo, que por si só não basta",garante Danilo Dornas,
professor de filosofia com ênfase em ética para o ensino médio ,em São João Del Rei,MG,concordando com as reflexões aristotélicas.

Encarar a felicidade como ausência de dor ou de outros tipos de aflições,como de certa forma o fazia Epícuro,pode levar ao pessimismo.

Renúncia parece ser uma palavra chave para a busca da felicidade.Sêneca(4 a.C.-65d.C.),por exemplo,em seus escritos de A Vida Feliz,dizia qeu o ser humano seria feliz se renunciasse ao padrão de referência de sua sociedade:

"é preciso atentar para não seguir tal como ovelha o rebanho à frente,porque,não sabendo para onde ir,vai-se para onde as outras se dirigem",afirmava,alertando para o perigo da opinião pública.

E dizia"Feliz é aquele que satisfeito com sua condição,seja ela qual for,desfruta da mesma."

O pensamento de Sêneca assim como o de Aristóteles, indica que o caminho para a felicidade,é possivel através do autoconhecimentoe de muito trabalho.

A escritora e professora Suzana,resume"O que ocorre é que o sentmento permanente de felicidade-qeu na existência humana é vulnerável e provisório-dependente de muitas variáveis exposto a contigência,à influência do inesperado,e até mesmo à tragédia,não durará por muito tempo".

Mas que grau de importância tem a duração da felicidade? Não seria melhor poder experimentar e vivenciar- ao menos por um período-todos os benefícios que este estado provoca?.

Renata Armas é jornalista e Editora Assistente de Ciências e Vida-Filosofia e da revista Psique Ciência & Vida.

bem,isso daria ênfase para mais um debate.hasta luego!!!

"Para muitas pessoas,a felicidade é semelhante a uma bola:querem-na de todo jeito e, quando a possuem,dão-lhe um chute."Mário Glaab).


"Não importa se estou no meio do mato,dentro de casa,em qualquer lugar.O importante é estar com a alma feliz”(Almir Sater).