sexta-feira, 7 de novembro de 2008

ENTREVISTA DE ALMIR SATER SOBRE SHOW DE BH HOJE


Seção:Música - 07/11/2008 07:00
Almir Sater traz a Belo Horizonte show do CD 7 sinais.
Eduardo Tristão Girão - EM Cultura

Um dos mais importantes violeiros em atividade no Brasil, o sul-matogrossense Almir Sater volta a Belo Horizonte para tocar os sucessos que coleciona em quase 30 anos de carreira e músicas do seu disco mais recente, 7 sinais, lançado no início do ano passado.


O show será sexta, no Chevrolet Hall,onde o artista mostrará a formação de sua banda. Ele substituiu teclado e baixo elétrico por acordeom e baixo acústico.“Nosso som está mais delicado”,explica o músico.

Além do baixista Toninho Porto e do acordeonista Marcelus,Almir Sater terá a companhia de Carlão de Souza(violão de 12 cordas),Papete(percussão)e dos irmãos Rodrigo(violão)e Gisele(vocais).

“É um som familiar.É bom trabalhar com eles.Se tiver briga,fica em família.Mas esse pessoal é de arte,não de ‘fazer arte’”,brinca.

No repertório,clássicos como Um violeiro toca,Tocando em frente e Chalana.“Se eu não tocar Chalana,apanho.Ainda mais com essa reprise da novela Pantanal”,diz.

Por falar nisso,o artista afirma que a repercussão de sua recente participação na novela Bicho do mato,exibida ano passado pela Record,foi menor do que na época de Pantanal, que estreou na extinta Manchete em 1990 e, atualmente,é reprisada no SBT/Alterosa.

“É uma novela bonita,melhor tanto em relação a roteiro quanto à resposta de público. Bicho do mato também foi legal,mas nem se compara”,avalia.
Lembrando do esforço que é participar das gravações de uma novela,provoca:“Novela é bom quando reprisa”.

Mas Almir sabe da importância das novelas em sua carreira,ainda que sua qualidade como artista independa dos personagens que interpretou – quatro,até hoje,incluindo papéis em A história de Ana Raio e Zé Trovão (Manchete,1990)e Rei do Gado(Globo, 1996).

É por isso que, mesmo classificando o novo álbum,7 sinais, como um disco “legal,mas ainda jovem”,não deixará totalmente de lado algumas canções.

Garante a linda No rastro da lua cheia(escrita com o parceiro Renato Teixeira)e Maneira simples(que fez com seu parceiro mais antigo,Paulo Simões).

SEM LETRA “Fiz 7 sinais para conhecer o equipamento de gravação que,na época,havia acabado de comprar.O pessoal da novela Bicho do mato me pediu uma música e acabaram colocando esse disco todo na trilha sonora”,lembra.

O violeiro revela que seu próximo projeto é a gravação de um disco instrumental,o que não faz desde 1990,quando lançou Instrumental II.

“Estou esperando o momento certo para fazê-lo.Afinal,lançar disco,hoje,tem que ser encarado como doação para a humanidade”,ironiza.Músicas instrumentais também farão parte do show de sexta.

Link direto da reportagem
http://www.new.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_19/2008/11/07/ficha_musica,id_sessao=19&id_noticia=4635/ficha_musica.shtml

ALMIR SATER
Show Sexta-feira(07/11),às 22h30,no Chevrolet Hall,Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230,Savassi.

Ingressos:setor 1 – R$ 80(inteira)e R$ 40 (meia-entrada);
setor 2 – R$ 70(inteira) e R$ 35(meia-entrada);
arquibancada – R$ 50 e R$ 25 (meia-entrada).
Classificação:16 anos.
Informações:(31) 3209-8989 e www.chevrolethallbh.com.br