terça-feira, 18 de setembro de 2007

Na busca para "Ser do Bem"






....Hei que destino mais atrevido seguir sempre seguindo...por aí..

Aproveitando meu tempo ocioso, resolvi "divagar"sobre como"ser do bem". Em tempo: quando falamos em ócio, a impressão é que somos "desocupados" mas na verdade, eu me refiro no tempo da filosofia, 400ac, onde os filósofos usavam de sua ociosidade para a criatividade, para divagar e refletir.

"Ser do Bem"..me faz lembrar, em um certo dia, um fã do Almir Sater, que me escreveu algo assim,que eu achei graça,"loira do bem", interessante seu link, avisou com antecedência que era "loira" mas do "bem", porque as loiras geralmente são más" ...Ara que pré conceito, este moço!!!

Não me lembro as palavras exatas, mas ele fez um trocadilho e eu expliquei que na verdade era porque fazia parte do voluntariado e de aulas de inclusão social e Ele achou o máximo.

Eu li num site que uma "certa TV" estaria preocupada com os baixos índices de sua novela, pois foi constatado que quando os personagens do "mal" apareciam a audiência caía assustadoramente e que por sua vez, quando são os personagens do "bem", a novela eleva a audiência, porém não queriam admitir que isso era um fato real devido os personagens centrais da trama serem os atores, considerados"bola da vez". Apesar de só assistir algumas vezes as novelas, da qual abri exceção somente para o Bicho do Mato, e nem foi dizer o motivo, porque é óbvio na verdade, só leio o resumo do site Terra, para eu falar a linguagem do meu público/alvo(alunos)busco personagens do popular e que atingem as massas e que por sua vez ficam massificados também.

Eu acho que estamos abrindo nossos olhos, tirando o véu da ilusão e ignorância e rezando na cartilha de Sócrates, ou seja, antes de assimilar algo, passar por um crivo antes, somente depois de filtrar as informações, adotarmos como ideologia.


Eu penso que compreender a vida é além de seguir "Tocando em Frente" procurar ser do bem, começar a mudar a si mesmo, a reinventar a nossa pessoa, conviver com os defeitos, assimilar mais as qualidades dos outros, a propagar uma energia conspiradora para o bem e de preferência para o bem comum, o do coletivo.

E essas coisas, às vezes está tão perto de nós, arraigados em nós e por acharmos comum demais, não a valorizamos ou damos seu real valor.

Assim foi quando eu recebi essas fotos belas da minha amiga e fã N.1 de Almir Sater, M.helena do cantinho onde ela passa seus finais de semana, junto com sua querida família e amigos.

Viver é tão simples que nem damos conta nas coisas belas que a natureza possui e nos dá gratuitamente.Ou então nem damos conta do quanto um carinho como este da M.Helena, por exemplo, pode engradecer um ser como eu, ao ponto dela, comparar toda aquela beleza com a minha sensibilidade de ser humano.

Eu acho que eu estou tentando ser do bem ,e claro, cada vez que eu recebo um carinho destes, de pessoas que me conhecem (apenas) virtualmente, mas que podem captar toda a minha essência, é algo assim indescrítivel que faz cada dia eu querer trilhar o caminho do aprendizado e ser realmente uma pessoa melhor.

E o músico Almir Sater contribui de forma indireta por toda essa energia do bem suspensa no ar, por toda essa vontade que as pessoas, assim como eu, tem de se sentirem melhores e a busca por uma sociedade mais justa, um aprendizado maior, e isso ocorreu pelo fato de ter algo em comum,o de apreciar e vivenciar o trabalho do artista.

As fotos foram gentilmente cedidas por M.Helena.
A foto de Almir Sater pertence a entrevista feita nas Barrancas do Rio Paraguai, durante o FAS 2007.